sábado, 8 de dezembro de 2012

DENÚNCIA DE REMOÇÕES E DESPEJOS NO NEW YORK TIMES

O Rio de Janeiro é pauta de um dos mais influentes jornais do mundo e um dos principais dos Estados Unidos. O New York Times, em maio deste ano, estampa em matéria de capa duras críticas ao prefeito do Rio de Janeiro, responsabilizando a Prefeitura da cidade pelos despejos e remoções de 170 mil pessoas até as Olimpíadas. Segundo o jornal, as remoções e despejos são feitos e as pessoas não são sequer consultadas. Tudo em nome das Olimpíadas de 2016.


 EM NOME DO FUTURO, RIO DESTRÓI O PASSADO

Com este título, ele dispara acirradas críticas contra a desapropriação das casas dos moradores do histórico Morro da Providência, uma das primeiras ocupações do Centro do Rio, a favela mais antiga da cidade. Diz o jornal, que o plano de revitalização da cidade (o “Porto Maravilha, Porto Olímpico e Morar Carioca” do prefeito Eduardo Paes) fará com que os moradores das demais favelas sejam também despejados, tendo suas casas desapropriadas para promover a especulação imobiliária e os grandes empreendimentos corporativos para as Olimpíadas.

O RIO ESTÁ SE TORNANDO UM PLAYGROUND PARA OS RICOS

O NY Times mostra que conhece de perto e vê com apreensão, ao contrário da grande imprensa brasileira que finge que não vê, o esquema de despejos e remoções da Prefeitura do Rio. Usando o método “dividir para conquistar”, a Prefeitura tenta convencer os moradores, através de conversas individuais, a assinar propostas de reassentamento, impedindo que decidam coletivamente a questão e se defendam contra a desapropriação de seus imóveis, programa imposto pelo município para os megaprojetos das Olimpíadas, ressalta o jornal.
Afirma, ainda, que 70% das favelas do Rio já estão “condenadas” e os moradores, sem qualquer chance contra o poder de polícia da Prefeitura, e do Estado, terão suas casas demolidas, sem aviso prévio. O NY Times conhece em detalhe as estratégias e táticas da prefeitura. Diz que “durante o dia as iniciais da Secretaria Municipal de Habitação (SMH) e um número são pintados com tinta spray nas paredes das casas. Ao voltar do trabalho, os moradores descobrem que suas casas serão derrubadas” (Foto de Renan e Otto, abaixo).

Foto de Renan e Otto
O NY Times teme que, com o projeto do prefeito de destruir a mais histórica favela do Rio, o morro da Providência, novas destruições venham à reboque e centenas de outras ocupações tenham o mesmo destino, como a Vila Autódromo, que o prefeito quer destruir para construir um Parque Olímpico (O NY Times publicou o mapa do local).

Clique aqui e veja a matéria na íntegra